EN

A noite veste azul

SESC apresenta:

A noite veste azul 

Paulinho da Viola e Velha Guarda da Portela convidam Criolo 

Dia Nacional do Samba 

Data: 02 de dezembro de 2018 

Horário: 19h 

Abertura dos portões: 17h 

Classificação etária: Livre 

Ingresso: Entrada solidária 
3 kg de alimento não perecível (arroz, feijão e macarrão) dão direito a um ingresso.
- Troca de alimentos por ingressos: a partir do dia 14 de novembro 
- Os alimentos devem ser trocados pelos ingressos diretamente nas unidades do SESC
- Todos os alimentos serão doados para ações do projeto Mesa Brasil.
A troca de alimentos por ingressos também poderá ser feita diretamente na Jeunesse Arena no dia do evento.

Estacionamento disponível no local 
Vagas limitadas | Sujeito à lotação 
Pagamento apenas em espécie | Valor: 30 reais 

Outras informações: 
Paulinho da Viola e Velha Guarda da Portela recebem Criolo em “A Noite Veste Azul” 

Show em exaltação ao samba celebra os 95 anos da Portela e homenageia baluartes da escola como Monarco e Candeia 

O espetáculo “A noite veste azul”, é dirigido por Elifas Andreato celebra os 95 anos da tradicional escola azul e branca carioca, os 85 anos de vida do mestre Monarco e o aniversário do saudoso compositor Candeia. “A Noite Veste Azul” é produzido pela Canto de Sala, da produtora Cecília Rabello filha de Paulinho da Viola. O tom de homenagem à Velha Guarda não está só no repertório, que mescla canções clássicas de Paulinho da Viola e sambas da Velha Guarda, mas também na cenografia, que traz fotos históricas do acervo do diretor Elifas Andreato. As imagens retratam a primeira apresentação do grupo, em 1969. 

“Estar mais uma vez ao lado da Velha Guarda da Portela, um grupo que representa aquilo que há de mais verdadeiro e importante na história da nossa escola, que é a sua história passada, os seus sambas, a sua forma de tocar e cantar, para mim significa a oportunidade de revelar esse universo para um público maior. Me sinto muito feliz sempre que estou ao lado da Velha Guarda. E tendo como convidado uma figura como o Criolo, que eu tive o prazer conhecer, torna esse evento mais importante e especial”, declara Paulinho. “A Noite Veste Azul” reserva espaço para um novo encontro. 

Pela primeira vez, Paulinho da Viola e Criolo vão dividir o mesmo palco. Ídolo da nova geração, o rapper transita com fluidez entre o rap, MPB e samba. Em participação especial, o paulistano também cantará sambas históricos da Portela, além de suas composições. “É algo inacreditável, um sonho que nunca foi sonhado, porque para sonhar um sonho desses seria uma ousadia e tanto. Me sinto num lugar de gratidão apenas. Muito obrigado Paulinho da Viola, muito obrigado Velha Guarda da Portela por essa honra maravilhosa”, declara Criolo, que recentemente lançou o álbum de samba “Espiral de Ilusão”, no qual Elifas Andreato assinou a capa. A concepção de todo o espetáculo se baseia na harmonia do clássico e do contemporâneo. O resgate do modelo teatral de apresentação traz uma iluminação envolvente, interação e projeções planejadas. “O show foi montado como o Paulinho gosta, teatral, com clima intimista. Nós sempre trabalhamos assim. E o Criolo é uma pessoa que parece demais com o Paulinho, no caráter, no talento, na maneira de proceder. É um ser humano que respeita tradições. Então é uma participação luxuosa, alinhada a toda essa ambiência”, revela o diretor. 

O espetáculo é a primeira reunião da Velha Guarda e de Paulinho em trinta anos, mas é impossível separar as suas histórias. O time de ouro da azul e branca se formou em 1972, quando se reuniu na casa de Dona Vicentina, para gravar o LP de Paulinho, “Passado de Glória”. O sambista oficializou a Velha Guarda como grupo musical em um show realizado no auditório da Fundação Getúlio Vargas, em SP, para comemorar o cinquentenário da Semana de Arte Moderna de 1922. “A minha expectativa é que será uma festa muito bonita que vai ficar na memória do público. Criolo é um jovem que reverência o samba e a Velha Guarda, Paulinho é nosso padrinho. Estou muito feliz e com meu coração preparado para essa grande emoção” comemora o aniversariante Monarco. 

Arte e música também costuram as trajetórias do diretor de “A Noite Veste Azul” e de Paulinho da Viola. Elifas Andreato produziu todas as grandes capas da discografia de Paulinho e não esconde sua paixão pela Velha Guarda: “Não há como ficar indiferente diante destes senhores e senhoras, que extraem da dura realidade em que vivem a poesia de ‘Peregrino’, que nos ensina que quem nasceu para sempre será eterno e que todo samba é um canto de amor”, conclui.

Hotel Grand Mercure
Hotel Grand Mercure