EN
04/06/2018 - Fonte: O Globo | Barra | BR

Quando o gelo aquece

Movimentos rápidos e precisos levam ao palco personagens consagrados de histórias clássicas e recentes em "O maravilhoso mundo de Disney on ice" Mickey Mouse embarca numa caça ao tesouro acompanhado por Minnie, Pato Donald e Pateta, e precisa mergulhar no universo mágico de oito tramas infantis para encontrá-lo. Sob esse pretexto, numa pista de gelo de 800 metros quadrados são encenados trechos de "O Rei Leão',' "Branca de Neve e os sete anões" "Aladdin" "A Pequena Sereia" "Enrolados" "Toy story',' "Procurando Dory" e "Frozen" Inédito, o espetáculo, trazido ao país pela Opus Promoções e pela Feld Entertainment, chega ao Rio após temporadas em Porto Alegre, onde estreou, e São Paulo. Depois, seguirá para Brasília, encerrando a turnê brasileira. A equipe do GLOBO-Barra esteve em Porto Alegre para adiantar o que será visto entre os dias 13 e 17 na Jeunesse Arena, na Barra. Na estreia, bastou os personagens entrarem em cena, deslizando, para serem ovacionados. O som, alto o suficiente para não ser abafado pelos efusivos fãs brasileiros; os efeitos especiais, como a neve; a trilha sonora em português e os sucessivos estímulos à interação fizeram o resto, e o clima de delírio durou os 110 minutos do espetáculo, no qual mais de 50 personagens, vividos por 45 patinadores, se alternam em cena. Nos bastidores, antes de o público tomar seus lugares, os atores fazem alongamento. Depois, caracterizados, ensaiam mais uma vez o espetáculo corrido. Mesmo assim, a possibilidade de erro existe. Tanto é que o anfitrião do show literalmente escorregou diante de crianças e adultos gaúchos. A platéia riu muito do tombo de Mickey. Já estava hipnotizada. Um patinador pode fazer cinco personagens por apresentação. Em treinamentos específicos são estudadas as coreografias e os trejeitos de cada um, inicialmente, por meio de material impresso e vídeos. Próximo a estreias, o treino leva de oito a dez horas por dia. Personagens com forte caracterização - como Timão, Pumba, Olaf e os sete anões exigem mais tempo de ensaio, para que seus intérpretes se adaptem a qualquer resistência que a roupa possa oferecer. O patinador canadense Josh Bindon, integrante do grupo de apoio de várias cenas, compara as apresentações em competições de patinação artística no gelo e os shows: - Durante os ensaios, usamos o figurino para ter certeza de que podemos nos mover e passar o que queremos ao público. Viemos da patinação em competição, mas ir para o gelo usando roupas grandes é difícil. Os patinadores fazem truques legais, como os vistos na TV, mas, para atingir esse nível, precisam de muita prática. Os competidores usam peças finas, coladas ao corpo. No show, há roupas que oferecem resistência. O mais difícil é se adaptar a vários personagens.