EN
04/02/2019 - Fonte: O Globo | Rio Show

The Dark Side of the Moon, pela Petrobras Sinfônica

Orquestra toca releitura de disco clássico do Pink Floyd na Jeunesse Arena SÉRGIO LUZ - No final de 2016, a Orquestra Petrobras Sinfônica estreou a série "Álbuns" interpretando "Ventura", do Los Hermanos, no Teatro João Caetano. O sucesso do projeto foi tão grande que rendeu um show em homenagem a "Thriller", de Michael Jackson, e mudou de patamar, deixando o teatro para tomar casas maiores. 

Hoje, na Jeunesse Arena, na Barra, a Opes mostra sua versão sinfônica para "The dark side of the moon", clássico do Pink Floyd, um dos discos mais aclamados da história do rock, depois de três datas esgotadas em novembro, no Vivo Rio. A regência é do maestro Isaac Karabtchevsky. 

- Como a Opes é uma associação administrada pelos próprios músicos, nós fizemos um brainstorming para decidir qual seria o novo projeto. Tivemos um brasileiro e um pop. Agora era a vez do rock - diz Mateus Simões, diretor executivo da orquestra e baixista da banda de pop punk Phone Trio. 

- A orquestra já tinha o peito aberto para trabalhos populares. Eu vim só para somar e ser um facilitador dessa nova fase. A tarefa de adaptar a obra-prima do Pink Floyd, contudo, não era fácil. Entre os problemas para os arranjadores, estavam os indefectíveis e marcantes solos de guitarra de David Gilmour. 

- Quando decidimos por esse disco, todo mundo comentou: "A guitarra vai fazer falta". Aí, o Ricardo Amado, que é nosso spalla, teve a ideia de fazer os solos no violino elétrico, tocando de maneira visceral - explica Simões. 

Outra casca de banana era "The great gig in the sky", que conta com um lendário solo de voz de Clare Torry. 
- Pensamos em loopings e efeitos, mas a decisão final foi de recriar a voz através do clarinete - conta. 

O programa conta com todas as dez músicas do álbum, como "Time", "Money" e "Us and them". 

- Vamos fazer uma interseção entre o rock e a música clássica. No bis, ainda vai ter um medley com outros clássicos do Pink Floyd. 

Onde: Jeunesse Arena. Av. Embaixador Abelardo Bueno 3.401, Barra.
Quando: Dom, às 20h.
Quanto: De R$ 140 a R$ 260.

Classificação: 18 anos.
Na íntegra.
Comandada pelo maestro Isaac Karabtchevsky.